Americanópolis foi inaugurado com corrida de bicicletas, em 1923

É muito difícil precisar quando surge um bairro na metrópole paulistana. Mas, alguns agrupamentos residenciais têm história bem definida, marcada por passagens interessantes, eventos curiosos. É o caso de Americanópolis.

A região só realmente foi povoada com mais intensidade a partir da década de 1960, por conta do crescimento do ABC paulista e da atividade metalúrgica. Área de passagem entre a capital e as cidades que concentravam montadoras de automóveis e outras indústrias, Americanópolis foi despertando o interesse da população que não tinha tantos recursos para comprar imóveis mais centrais – seja em São Paulo ou nas cidades de São Bernardo, Santo André, São Caetano e Diadema.

Mas, ainda na década de 1920, foi criada uma linha de bonde para o bairro, ligando-o com a área mais povoada e central do Jabaquara – desde as proximidades da atual Igreja de São Judas, por onde passava a primeira linha de bonde ligando São Paulo a Santo Amaro, até a região onde hoje está localizado o terminal metroviário do Jabaquara.

Esse trecho ainda era muito despovoado e contava com o Parque do Jabaquara, nessa época, um recanto de lazer particular pertencente a  Antonio Cantarella.  Mas, para além do parque, já havia alguns núcleos residenciais de Americanópolis e Vila Santa Catarina.

De acordo com Waldemar Correa Stiel, em seu livro “História dos Transportes Coletivos em São Paulo, no final de 1923 foi “inaugurado” o bairro de Americanópolis.

“Em 15 de novembro de 1923, com a inauguração do bairro de Americanópolis, onde haveria uma corrida de bicicletas, foi estabelecida uma linha de “autobondes” entre Jabaquara e aquele novo bairro”, relata o autor. E prossegue: “Deve ter dado resultados satisfatórios pois, seu proprietário, sr. Afonso de O. Santos, estabeleceu um horário e colocou ônibus diários a partir de domingo, 10 de fevereiro de 1924: partidas de Americanópolis – 6h15min, 12h, 14h e 17h30min; partidas do Jabaquara – 6h40min, 12h40min, 14h40min e 18h”.

Já o autor Levino Ponciano, em “História dos Bairros Paulistanos de A a Z” informa que  boa parte dos terrenos da região teria como proprietários o casal João e Nilza, o que explicaria a origem, também, do vizinho bairro de Vila Joaniza.

“Resgatar a história de todo o Jabaquara não é tarefa fácil”, avalia Eliane Kattur Nieman Mello, coordeadora pedagógica da Escola Nossa Senhora das Graças. “É preciso levantar dados sobre os vários bairros e pequenas vilas que integram o distrito. Muitos faziam divisa com a cidade de Diadema e com Santo Amaro que, até 1935, era um município independente”, avalia.

A Escola está celebrando seus 60 anos e sua fundadora, Lucy Nieman, que tem 83 anos e vive no bairro desde a adolescência. “Eu vi o crescimento e a evolução de toda a região e considero fundamental que as novas gerações conheçam a história”, diz a educadora.

2 thoughts on “Americanópolis foi inaugurado com corrida de bicicletas, em 1923

  1. Voltei no tempo. 1969…1970 copa do mundo. Morei na Rua 15 de Novembro.Sai de Americanopolis e 1974. Fui morar Vila Joaniza. Mas Americanopolis vivi a melhor fase de minha vida. Quando ouço um Bee Grés, um Martinho da Vila, logo me vejo em Americanopolis, tempo dos bailinhos em casa, casa de amigos. Que gostaria tanto de saber onde estão e se estão bem. Catatal, Ubaldo
    Fátima irmã do Zico onde aprendi a dançar Samba(todos domingos a tarde tinha baile na casa deles) moravam ou moram Rua detrás da 15 de novembro. as Irmãs Zildinha Betinha, residiam na Rua descia o ônibus Americanopolis. Jeova morador Da travessa na descida do ônibus, primo de Ricardo, Betinho , Betinha filhos da dona Maria costureira e moravam na Divisa de Diadema. Ricardo trabalhava na NAKATA. Guta e Israel, acho que se casaram.
    Será que eu teria a chance de saber onde estão meus amigos….gostaria de saber deles. “Americanopolis” melhor época de minha vida… Será que vcs não fariam um grande favor de tentar saber dessas pessoas, que se encontram em meu coração até os dias de hj. Meu apelido é ninica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *