História do Jabaquara

Fotos, relatos e textos sobre Cidade Vargas e Jabaquara

Quem se lembra do Recinto de Exposições da Água Funda?

“Até meados da década de 1970, a área onde hoje fica a Rodovia dos Imigrantes era um grande brejo, com um córrego”, relembra Lucy Nieman, diretora fundadora da Escola Nossa Senhora das Graças, que em 2018 completa 60 anos. “O Parque do Estado já existia, mas era apenas uma grande mata e o acesso ao Zoo e ao Botânico acontecia pela Miguel Estéfano e Estrada do Cursino”, completa ela, que até hoje se mantém na direção da escola, localizada no vizinho bairro da Cidade Vargas.

A chegada da Rodovia aconteceu em 1977, pouco tempo depois da inauguração do metrô Jabaquara, em 1974. Localizado no meio dessas duas inovações urbanas, o bairro da Cidade Vargas passou por inúmeras transformações desde então.

E um dos espaços históricos da região foi evoluindo no mesmo ritmo. Em 1978 foi inaugurado o Recinto de Exposições da Água Funda, junto à Rodovia dos Imigrantes. Os terrenos laterais à Rodovia também ganharam um batalhão de Polícia e a sede da Secretaria de Estado da Agricultura.

Um imenso estacionamento servia de área para, aos domingos, ser promovido um Varejão, com produtos hortifrutigranjeiros oferecidos diretamente pelos produtores. Também foi criada ali uma delegacia (97DP) e uma unidade da antiga Fundação para o Bem Estar do Menor, a FEBEM, tudo junto ao Parque do Estado, do lado oposto da recém inaugurada rodovia.

O Recinto da Água Funda abrigava especialmente exposições ligadas ao setor agropecuário paulista, como exibições de cavalos e bois de raça, campeões que eram vendidos e participavam de concursos ali.

Havia também alguns eventos abertos ao público em geral, com coelhos coloridos que encantavam crianças.

No final da década de 1990, o Governo do Estado passou a planejar a concessão da área do antigo recinto de exposições. Chegou a ser cogitado e anunciado um Parque do Chico Bento, pela Maurício de Souza Produções. Seria um parque temático “caipira”, mas a ideia acabou não sendo levada adiante.

Depois, uma concessão inicial de 20 anos à iniciativa privada transformou a área em Agrocentro, que acabou evoluindo para Centro de Exposições Imigrantes.

Quando a concessão estava prestes a terminar, planos de algo bem maior passaram a ser anunciados.

Em agosto de 2013, a empresa francesa GL Events foi a vencedora da nova concessão, desta vez por 30 anos com investimentos iniciais que já superam 400 milhões na construção do maior Centro de Exposições do Brasil em área coberta, com 100 mil m²: o São Paulo Expo.

Para isso, o Varejão, a Secretaria da Agricultura e o Batalhão da PM foram realocados para outros endereços.  Agora, há projetos para construir um complexo hoteleiro na área.

“Acompanhamos toda essa evolução com bons olhos. Trouxe muitas melhorias em infraestrutura, tornou nosso bairro mais conhecido na cidade”, avalia dona Lucy.

Next Post

Previous Post

2 Comments

  1. Renato 28 de julho de 2018

    Para qual endereço foi o varejão que era de domingo?
    Grato.

    • Ana 30 de julho de 2018 — Post Author

      Continua sendo promovido aos domingos, no terreno existente na esquina das ruas dos Comerciários e Anita Costa, junto ao terminal Jabaquara do Metrô e EMTU

Leave a Reply

© 2018 História do Jabaquara

Theme by Anders Norén