História do Jabaquara

Fotos, relatos e textos sobre Cidade Vargas e Jabaquara

Complexos empresariais concentram postos de trabalho no Jabaquara

É bem verdade que o maior impulso ao crescimento de Vila Guarani e Jabaquara vieram com a chegada do metrô, na década de 1970. O projeto CURA – Comunidades Urbanas de Recuperação Acelerada foi idealizado pela Prefeitura, com recursos federais, para garantir que o bairro realmente progredisse.

E o resultado foi não só o crescimento populacional e construção de moradias, como também acabou por atrair dois grandes empreendimentos que modificariam de vez o cenário local.

Hoje, a região da Vila Guarani é mais valorizada e repleta de comércio e prestação de serviços por conta da movimentação desses dois empreendimentos, que movimentam milhares de pessoas

O Centro Empresarial do Aço teve sua construção iniciada em 1989 e concluída quatro anos depois. São quase 80 mil metros quadrados,o que o tornam um dos maiores edifícios de toda a América Latina construído em estrutura totalmente metálica. São quase 5 mil toneladas de aço patinável.

Projeto da Botti Rubin Arquitetos, foi erguido pela Método Engenharia e já foi sede da Companhia Siderúrgica Paulista –  atualmente reúne dezenas de empresas. Conta com restaurante para 600 pessoas, dois helipontos e um auditório com capacidade para 270 pessoas, que já abrigou shows de música e peças de teatro.

Já o Complexo Empresarial que é sede administrativa do Banco Itaú/Itaú S/A abriga hoje nada menos que 10 mil funcionários. Um dos grandes diferenciais do projeto está no fato de que os espaços internos, conhecidos pelas poucas barreiras e paredes, além de grande fluidez, integra-se até o espaço externo, ou seja, a Praça Alfredo Egydio de Souza Aranha.

Ali, escadarias fazem a interligação com a estação Conceição do metrô e o paisagismo, com fontes e arbustos, cria divisórias suaves, imperceptíveis e que embelezam a área.

As obras no local começaram em 1980 e se dividiram em três fases. O projeto inicial previa uso de vidro para recobrir os edifícios, mas a proposta foi abandonada nos três edifícios iniciais. Em 1986, começou a construção da sede ITAUSA, revestido com vidro duplo laminado.  A outra etapa do projeto se estendeu de 1989 a 2002, com a construção de uma torre em concreto armado, revestida de “alucoblonde”.  No início da década de 2000, os primeiros prédios também foram revestidos pelas placas de alucoblonde, garantindo identidade visual ao conjunto de edifícios*.

Os dois complexos atraíram, obviamente, edifícios residenciais para onde se mudaram muitos funcionários dos complexos empresariais. Todo um comércio forte também surgiu no entorno. “Muitos de nossos alunos, hoje, são moradores da Vila Guarani e filhos de funcionários desses dois centros empresariais”, conta Lucy Nieman, diretora fundadora da Escola Nossa Senhora das Graças, que esse ano completa 60 anos de existência. “Posso dizer que assistimos a muitas transformações no entorno das estações Jabaquara e Conceição nessas seis décadas”, conclui.

  • Fonte: Norma Fonseca Vianna – Dissertação – Espaços coletivos: espaços privados com áreas coletivas

Next Post

Previous Post

Leave a Reply

© 2018 História do Jabaquara

Theme by Anders Norén