O Parque Estadual das Fontes do Ipiranga é um capítulo à parte na

história da zona sul e de toda a cidade. Ou melhor, vários capítulos, já que o local reúne diferentes equipamentos – como o Zoológico, o Jardim Botânico, o Instituto Geofísico da USP e outros tantos que já nem existem mais…

 

Embora não esteja dentro dos limites do distrito atual do Jabaquara, o

Inauguração do Zoo causou congestionamento, em março de 1953

parque influenciou e ainda tem forte presença na vida cotidiana de quem vive ali, em especial nos bairros vizinhos como a Cidade Vargas, a Água Funda e a Vila Guarani.

 

Um dos mais “conhecidos” capítulos dessa história é o Zoológico de São Paulo.

 

Com cerca de 900 mil metros quadrados de área, o Zoo paulistano é o quarto maior do mundo e certamente um dos mais bem estruturados. Está prestes a completar 60 anos de existência. Os estudos para sua formação, aliás, datam de 1957.

 

Deveria ter sido inaugurado em janeiro de 1958, nas celebrações de aniversário da cidade, mas fortes chuvas caíram sobre a cidade naquela época e atrasaram a inauguração, que aconteceu em 16 de março.

 

Há fotos históricas mostrando filas de carros que iriam para a inauguração, criando um congestionamento em plena década de 1950!

 

O primeiros habitantes do Zoo foram comprados de um pequeno circo particular: leões, camelos, ursos, elefantes e outros que não faziam parte da fauna brasileira. Já animais tipicamente nacionais foram trazidos da floresta amazônica: onças, galos da serra…

 

Na inauguração, havia menos de 500 animais, entre onças pintadas, jaguatiricas, papagaios, urso… Um dos habitantes mais famosos do Zoo paulistano foi um rinoceronte. Qualquer paulistano – ou mesmo brasileiro – daquela época se lembra do Cacareco, que foi “eleito” vereador em outubro de 1958, quando obteve mais votos que vários outros candidatos, em protesto do paulistano que na época registrava seu voto por escrito.

 

Como a história é viva, o futuro do Zoo ainda é incerto: vereadores atualmente discutem se ele deveria ser fechado à visitação, porque o barulho e movimentação turísticos provocam estresse nos animais.

 

Em setembro, houve debate sobre o tema na  Câmara Municipal de São Paulo. O presidente da Fundação Zoológico de São Paulo, Paulo Magalhães Bressan, entretanto, observou que são as visitas que geram recursos para atividades de pesquisa e programas de reprodução de espécies realizados pela Fundação.

3 thoughts on “Zoo pode ser fechado?

  1. Boa tarde era só oque faltava feichar o zoológico. Falta do que fazer mesmo tanta coisa pra se participar.porwue não Vã o arrumar recursos. Pra restaurar o museu do Ipiranga vocês tenque se preocupar e arrumar as ruas de São paulo que está em péssima condições porque vocês não falam com a prefeitura que tem cheios de terrenos espalhados por São paulo que daria pra montar grandes circos enorme e parque de diversões isto sim que era bom geraria muintos empregos pra todo mundo

  2. …sabe que nunca pensei nessa possibilidade… de causar estresse nos animais… e não é que é??? Entretanto… poderíamos talvez fazer uma campanha educativa para que fosse mudado o comportamento das pessoas durante as visitas aos recintos.dos animais…. e tenho pessoas amigas que são totalmente contra qualquer espécie de animal em cativeiro…e sei e também ofertei minha posição… que muitos são colocados no Zoo por não terem condições de vida em seu habitat natural…. seria condená-los a uma morte prematura… pois nem cacar e buscar alimentos saberia….. massssss… ( sim…um masss com montes de ¨esses¨)….. estamos com uma baita falta de educação até em condução onde ninguém oferecer lugar para senhoras e idosos sentarem IMAGINEM educar para não estressar animais em Zoo…. eu tenho sonhos utópicos mesmo…. mas fechar sou contra…. totalmente a favor de deixar crianças conhecerem animais sem ser em cartilha e revistas…. mas que é uma conversa polêminca…ahhh… isso é…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *