História do Jabaquara

Fotos, relatos e textos sobre Cidade Vargas e Jabaquara

Cidade Comerciária Presidente Vargas

Em 3 de fevereiro de 1942, foi passada a escritura de um terreno no Parque Jabaquara, para que se transformasse em uma “cidade satélite de São Paulo”.

A área havia sido adquirida pela Federação dos Empregados do Comércio no Estado de São Paulo, Associação do Comércio e Sindicato dos Jornalistas.

A proposta era facilitar a compra de lotes por pessoas trabalhadoras nos dois setores – jornalistas e comerciários – para que alcançassem o sonho da casa própria.

O Parque Jabaquara já vinha sendo loteado desde a década de 1930, quando seu proprietário percebeu que não conseguiria dar continuidade ao sonho de manter o local como um grande refúgio para festas, atividades agropecuárias e lazer da população.

Ainda em fevereiro, as entidades de classe começaram a divulgar por meio de noticiário e publicidade na imprensa paulistana da época que haveria reuniões para discutir o que chamavam de “maior obra de previdência social já realizada no país”.

Em 26 de abril daquele mesmo ano, o ministro do trabalho, Marcondes Filho, representou o presidente da república em cerimônia no local, implantando o “marco comemorativo” da Cidade Comerciária Presidente Vargas, em um discurso recheado de elogios ao presidente.

O projeto realmente se concretizou, rapidamente. Várias reuniões foram realizadas nas sedes das entidades, no centro de São Paulo, e já em 1941 os lotes começaram a ser vendidos. Em 1942, as obras começaram, com casas em sua maioria térreas, espaçosas, com jardins e muros baixos. Com apoio do governo federal, o empreendimento era chamado de Cidade Comerciária Presidente Vargas, que com o tempo transformou-se apenas em Cidade Vargas.

No ano seguinte, em 22 de dezembro de 1943, o próprio Getúlio visita as obras da Cidade Vargas, no mesmo dia em que conferia os trabalhos de construção da Via Anchieta, que estavam a todo vapor.

Em junho de 1944, o então presidente do sindicato dos Jornalistas, Nelson Fernandes, viria do Rio de Janeiro para a cerimônia de assinatura das primeiras oito escrituras, acompanhada da entrega das primeiras chaves do bairro planejado.

Nelson, que foi também deputado estadual, faleceu em abril de 1951.

Ruas

Em julho do mesmo ano, era publicada a lei 4084, finalmente dando nomes às ruas do bairro, até então conhecidas por números (rua 1, rua 7…). 

Entre elas, vias que homenageiam Getúlio Vargas e sua história, inclusive cidades do estado natal do então presidente (Rio Grande do Sul) e pessoas de sua família. Há historiadores que garantem que são raras as homenagens ao presidente Vargas na cidade ou mesmo no Estado de São Paulo.

Também houve homenagens aos sindicatos, com as Ruas dos Jornalistas e dos Comerciários, além da Rua Nelson Fernandes, homenageando um dos principais entusiastas e idealizadores do bairro.

O prefeito, na ocasião, era Armando Arruda Pereira, que na década de 1970 seria homenageado com o nome de uma das principais vias do bairro.

 

Next Post

Previous Post

1 Comment

  1. MARILENA IARA DE SOUZA PEREIRA 30 de novembro de 2017

    Muito boa a História de como nasceu o Bairro Cidade Vargas. Faço parte desse Bairro até hoje.

Leave a Reply

© 2018 História do Jabaquara

Theme by Anders Norén