Cidade Vargas – origem do nome

Na década de 1930, a região do Jabaquara começava a ser mais densamente povoada. Até 1935, essa área onde hoje há estações de Metrô como Conceição e o próprio terminal Jabaquara ainda fazia parte da Freguesia de Santo Amaro, ou seja, embora fosse mais perto do centro de São Paulo, estava dentro dos limites geográficos de Santo Amaro.


Naquele ano de 1935, entretanto, o município de Santo Amaro foi anexado ao município de São Paulo.

A Segunda Guerra Mundial (1940-45) também gerou crise econômica, mas acabou favorecendo oportunidades de financiamento para compra de terrenos fora do eixo central da cidade.

Foi nesse cenário de crescimento acelerado da população e dos arruamentos urbanos que teve início o bairro que hoje leva o nome de Cidade Vargas. A partir de uma ação conjunta entre os sindicatos dos Comerciários e dos Jornalistas, a área foi loteada para os associados aos sindicatos.

Em 1941, foi lançada a pedra fundamental do núcleo residencial, em loteamento vinculado à Associação dos Empregados do Comércio e colaboração do Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Cidade de São Paulo. Inicialmente, o bairro ficou conhecido por Cidade dos Comerciários – como comprova um mapa oficial do município, datado de janeiro de 1943.

A entrega das chaves, ainda naquele ano, dos primeiros imóveis foi feita por ninguém menos que o próprio presidente da república, Getúlio Vargas. E daí vem a homenagem que permanece até hoje, com o bairro ganhando o nome definitivo de Cidade Vargas. Várias ruas do bairro também homenageiam outras pessoas da família do presidente. Vale considerar, inclusive, que o bairro é tido como um dos únicos logradouros públicos a prestar homenagem ao presidente gaúcho.

6 thoughts on “Cidade Vargas – origem do nome

  1. Nascido em 1961, minha infância foi neste maravilhoso bairro.
    Lembro-me como se fosse hoje, ao descer a extensa Rua Getúlio Vargas Filho, simplesmente um vale, onde hoje atravessa a majestosa rodovia dos Imigrantes.
    Se seguíssemos reto por ali, tínhamos que atravessar campos e pastos, para sair praticamente frente ao Horto Florestal e ao lado, o Zoológico.
    Minha mãe, dona Diva, que foi por toda sua vida, magistrada da segundas e terceiras séries primárias e acompanhou a evolução de nosso bairro a partir do GRUPO DE MADEIRA que situava-se onde hoje é o complexo do chamado Clube SEDE – hoje conhecido como “Sociedade Amigos da Cidade Vargas”.
    Escola esta que posteriormente foi transferida à gloriosa Escola Estadual Nelson Fernandes, que funciona junto à rua Ouricana, número 57, por tantas vezes traçou este percurso com sua classe e outras, formando uma fila indiana de crianças felizes e entusiasmadas, cercadas de outras tantas professoras… dona Zélia, dona Elfrida, dona Elidéia, dona Lourdes, dona Maura e eu aproveitava este passeio maravilhoso para para acompanhar a aventura.
    Imaginem … 30, 60 crianças amparadas por 4 ou 5 professoras, irem da Cidade Vargas ao Zoológico à pé ?
    Nossos receios eram apenas o aparecimento de cobras ou aranhas ou viradas de tempo, uma vez que a Vargas, naquela época era comum em dias ensolarados, se iniciarem em neblina ou forte garoa… tínhamos uma tranquilidade total, na questão criminalidade, que realmente não existia.
    Desculpem se me estendi… Outra hora conto mais alguma coisa deste bairro maravilhoso que é a Cidade Vargas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *